Jornal do Brasil

Sábado, 29 de Abril de 2017

Cultura

Atriz escreve e atua no próprio espetáculo no teatro Cândido Mendes

Jornal do Brasil

Atriz, dramaturga, dubladora, diretora, produtora e estudante de canto e violão, essa é Mariana Rebelo, 34 anos, que é uma das estrelas do canal de entretenimento "Parafernalha". Neste sábado (7), Rebele reestreou o seu espetáculo sucesso de público e crítica “Versão de 2" no qual assina o texto, e é dirigido pelo ator e humorista Rodrigo Santa'nna. A temporada acontece do dia 7 ao dia 19 de janeiro, todas sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h30, no teatro Cândido Mendes, no bairro de Ipanema, no Rio. A classificação é de 14 anos.              

Conhecida por protagonizar cenas de comédia na internet, a artista, que se reinventa em várias funções na carreira, nasceu em Barra do Piraí e começou a estudar teatro aos 14 anos. Mudou- se com 18 anos para a cidade maravilhosa em busca do seu sonho de viver de arte e não parou mais: se formou em teatro e dublagem, fez pós-graduação em roteiro para televisão e cinema, além de inúmeros cursos livres na área de atuação e dramaturgia. Atuou em mais de 12 espetáculos teatrais, além de participações em novelas, cinema e seriados de TV. Atualmente ela também integra o elenco do grupo teatral "Os Inclusos e os Sisos", fundado pela atriz Tatá Werneck. 

O espetáculo acontece no teatro Cândito Mendes em Ipanema
O espetáculo acontece no teatro Cândito Mendes em Ipanema

Embora sua maior paixão seja atuar, Rebelo analisa a dramaturgia como um importante espaço de expressão artística. 

“Gosto muito de trabalhar com o humor, mas percebo que muitas vezes, as melhores piadas são destinadas aos homens. Acho importante ter mulheres que escrevam. O público gosta, e se identifica", declara a artista.

Na trama do "Versão de 2", Rebelo juntamente com o ator Wagner Trindade (do seriado "Os Suburbanos", do Multishow) vivem as inúmeras situações que contribuíram para o fim do relacionamento de um casal. A trama inicia-se no decorrer do divórcio. Enquanto encaixotam seus pertences para sair do apartamento em que viviam, o casal "lava a roupa suja" relembrando todas as situações cotidianas, através de esquetes cômicas e flashbacks, sempre contadas em duas versões: a masculina e a feminina.

Tags: artista, cultura, dramaturga, mariana rebelo, teatro, versões

Compartilhe: