Jornal do Brasil

Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018 Fundado em 1891
Futebol & Cia.

Futebol & Cia.

Renato Mauricio Prado


O terrível mês de agosto

Jornal do Brasil

C omo já se sabia, antes mesmo da pausa para a Copa do Mundo, o mês de agosto, que começa já na próxima semana, será extremamente desgastante e decisivo para os clubes que ainda disputam a Copa do Brasil e a Libertadores. São eles Flamengo, Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras, Corinthians e Santos. Os grandes beneficiados com isso podem ser São Paulo, Internacional e Atlético Mineiro, que dividem as primeiras posições do Brasileiro com eles e não terão uma superposição de jogos tão brutal. O Grêmio poupará seus titulares na rodada deste final de semana, quando enfrenta a Chapecoense, já pensando na primeira partida do “mata-mata”, da Copa do Brasil, contra o Flamengo, na quarta-feira, na sua arena. O rubro-negro deveria fazer o mesmo, diante do Sport, amanhã? Sinceramente, não acho necessário, nem apropriado.

Graças ao tricolor gaúcho, que bateu o São Paulo, no meio de semana, o Fla manteve-se na liderança do Brasileiro e abriu mais um ponto de vantagem (agora, são dois) sobre o seu mais próximo perseguidor. Se derrotar o rubro-negro pernambucano, amanhã, tem boas possibilidades de ampliar essa diferença, talvez, até para cinco pontos, pois o São Paulo vai encarar uma parada duríssima, contra o Cruzeiro, no Mineirão. De mais a mais, não custa lembrar, os jogadores que atuam no Brasil estão vindo de um longo período de descanso, que incluiu férias e uma mini pré-temporada, durante a Copa do Mundo. Não há, portanto, ninguém fisicamente estafado em nenhum clube daqui. Que se pense em poupar um ou outro mais para frente, vá lá. Mas agora, na minha cabeça, não faz o menor sentido – exceto em caso de jogadores contundidos.

Não custa lembrar, o Flamengo poderia ter mais três pontos na tabela, não tivesse poupado o time inteiro contra a Chapecoense, na primeira derrota que sofreu sob o comando de Maurício Barbieri.

----------

Resiste, Flu! 

Chegou a primeira proposta do futebol europeu por Pedro, mas o Fluminense não se sensibilizou com os 8,5 milhões de euros (cerca de R$ 39,5 milhões) oferecidos pelo Bordeaux. Fez muito bem. O jovem centroavante, atual artilheiro do Brasileirão, é fundamental no atual time tricolor e perdê-lo pode causar consequências funestas. A multa rescisória é de 50 milhões de euros e não acho que valha a pena negociá-lo por um euro a menos. Por mais que a penúria financeira impere nas Laranjeiras, perder Pedro neste momento pode causar um prejuízo muito maior. 

Em tempo: o jogo de hoje, contra o Ceará, lanterna do campeonato, é uma oportunidade perfeita para ratificar a boa fase da equipe, agora sob o comando de Marcelo Oliveira.

----------

Prova de fogo 

O Botafogo penou para bater a Chapecoense, no Nilton Santos. Será capaz de resistir ao Internacional, amanhã, no Beira-Rio? A conferir.

----------

Asteriscos 

Com dois jogos a menos e 19 pontos na tabela, o Vasco pode até sonhar com a sexta colocação no Brasileiro, caso vença o Santos, na Vila Belmiro, e o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, suas duas partidas adiadas. Não serão compromissos fáceis, mas impossível, não é – seus dois adversários não andam em boa fase e estão atrás dele na tabela. Amanhã, pela manhã, no jogo das 11 horas, o rival é o Corinthians, em São Januário. Jogo para somar três pontos se quiser sonhar com vaga na Libertadores.

----------

Dupla de paspalhões 

Esse papo besta, de Hudson e Raí, do São Paulo, sobre um possível favorecimento ao Flamengo pelo fato de os últimos jogos do tricolor paulista terem sido arbitrados por juízes do Rio, é de um ridículo tão atroz que merecia até punição da CBF, se a CBF fosse séria. Dois paspalhos!

----------

Pinocão 

Luiz Felipe Scolari disse, há algumas semanas, que não voltaria ao futebol brasileiro. Descansando em Cascais, deu entrevistas falando que esperava propostas do exterior e que nem estudaria convites do Brasil. Bem, como de hábito, o que Felipão fala, não se escreve. Ele aceitou, anteontem, dirigir mais uma vez o Palmeiras que, em sua última passagem, ajudou a levar ao rebaixamento – e também a um título da Copa do Brasil.

Viajando para Londres, para acompanhar o torneio de Wimbledon, em 2009, acabei sentado ao lado de Scolari, na classe executiva de um avião da TAM. O papo foi longo e divertido e, entre outras coisas, lhe perguntei se aceitaria dirigir o Brasil na Copa de 2014, em casa. A resposta foi imediata: 

- Tá louco? De jeito nenhum. Vai ser uma pressão insuportável. Só maluco pra aceitar essa bomba! 

Bem, sabemos que o aconteceu, né?

Ah, ia esquecendo. Em 2010, pouco antes da Copa da África do Sul, o técnico recebeu dirigentes do Flamengo, em Portugal, e acertou tudo para treinar o rubro-negro, após o Mundial. Depois disso, recebeu um convite do Palmeiras e roeu a corda, alegando que sua mulher tinha medo de morar no Rio. Pinóquio perde..



Tags: botafogo, felipão, flamengo, futebol, renato maurício prado

Compartilhe: