Jornal do Brasil

Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018 Fundado em 1891
Hildegard Angel

Colunistas - Hildegard Angel

Money, Money, Money

Jornal do Brasil

Money, Money, Money

Tem gente reclamando que falo muito de pobreza. Então, vou falar de milionários, e começar por um que está no Billionaire Bloomberg Index. 

Conforme contei, o estado top em conflitos por posse de terra é o Pará. Aquele mundão de terra, pertencendo a poucos latifundiários. Entre estes, o recordista é Daniel Dantas, dono do Opportunity, que possui no Sul do Pará 600 mil hectares, mais do que qualquer outra empresa brasileira. Sua Agropecuária Santa Bárbara Xinguara soma mais de 20 fazendas, de Marabá até Redenção, levando-se horas pra atravessar de jipe. Mas Dantas tem um ímã pra atrair problema. E lá estão na Santa Bárbara, há vários anos, 700 acampados do MST, alegando desmatamento ilegal e excesso de concentração de terras na mão de um só dono. Dantas negocia com o governo a venda de duas das fazendas para que os Sem Terra fiquem por lá, mas pede o dobro do que pagou por elas há 10 anos: R$ 100 milhões.

Daniel é bem mais razoável do que seu ancestral latifundiário, o Barão de Jeremoabo, Cícero Dantas. Foi em suas terras, no nordeste da Bahia, um latifúndio que abrangia Jeremoabo, Tucano, Olindina, Antas, Canudos e Alagoinhas, que Antônio Conselheiro fundou o Arraial de Canudos. O barão, várias vezes deputado e senador, usou de sua influência e conseguiu que o Arraial fosse atacado e totalmente destruído por tropas federais, durante a Guerra de Canudos. 

Eike rides again

Eike Batista está no Youtube dando dicas de como investir e ganhar dinheiro, e com grande sucesso. São centenas de milhares de acessos. Em um desses vídeos, ele afirma que vai reconstruir sua imensa fortuna, e já tem como. Vamos tentar advinhar... Eike adquiriu cerca de 60 propriedades na região de Minas Gerais, na Grande Belo Horizonte. Terrenos de pequenos e médios proprietários, com 100, 200, 300 hectares. Depois de comprar, tirava o cara de lá e cercava o terreno, tornando a área improdutiva. Os prefeitos desses municípios comentam entre si essas aquisições, e especulam: para que seriam? Uns acham que seriam reserva ambiental para justificar desmatamento em alguma fazenda longe, pois o código florestal do Aldo Rebelo (ops!) permite se for no mesmo bioma. Outros que é investimento, por estarem os terrenos próximos de BH, são valorizados, ele pode ir ao Banco do Brasil e levantar créditos, hipotecar e botar o dinheiro no que quiser. Há ainda os que dizem que no subsolo dos terrenos deve haver minério e, como o Eike teria “o mapa das minas do Brasil” (lenda corrente), ele foi lá e comprou. Mas o que o povo aposta mesmo é na versão do minerioduto, o duto que a Anglo inventou, que transporta por água o minério de ferro de Conceição do Mato Dentro até o Porto do Açu. Eike estaria mapeando as fontes de água para utilizar num futuro minerioduto numa mina que tem por lá. Façam suas apostas, qual das especulações é mais factível?

Dor na lombar 

A ausência de Alckmin, o candidato do PSDB, na convenção do PSDB em Minas, foi clamorosa. Convidado, ele deu como pretexto outro compromisso: um encontro com Roberto Jefferson. Mas o problema é que ele não está podendo carregar peso, tipo segurar alça de caixão. 

O Mundo está de olho 

A mídia hegemônica brasileira tão preocupada em apontar Fake News dos outros, não reconhece as dela própria. Muitas vezes, a omissão ou a notícia tendenciosa são até piores do que a notícia fajuta. O Festival Lula Livre, no sábado, 28, esteve em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados do Twitter e mereceu matérias em jornais do mundo todo. A Agência Associated Press distribuiu matéria reproduzida pelo The New York Times, Daily Mail, Washington Post, Arizona Daily Sun e outros mais, com o título “Celebridades brasileiras realizam show ‘Lula Livre’ no Rio!”, dizendo que mesmo preso ele é o político mais popular do Brasil, e com big foto do povo com a máscara de Lula botando a língua de fora. A Agência France Press escreveu que “os gigantes da MPB, Chico Buarque e Gilberto Gil, se apresentaram no Festival Lula Livre para exigir a libertação do ex-presidente”. O texto foi reproduzido no Libération e no L’Express, da França, sem falar em veículos da Bélgica e da Costa do Marfim. A televisão Telesur cobriu em tempo real para a Venezuela. A revista alemã Der Spiegel fez matéria em seu site, calculando em 80 mil o número de pessoas nos Arcos da Lapa, e relembrou “o golpe jurídico no início de julho”, quando não se cumpriu a decisão do desembargador Rogério Favreto para que Lula fosse libertado após um habeas corpus. Bem, o mundo inteiro já formou sua opinião, mas a mídia brasileira parece que tem um certo bloqueio, uma dificuldade de compreensão.

Clara e Rosa, união magistral

Eis a logomarca do enredo 2019 da Portela, quando a escola homenageará a cantora Clara Nunes. A maior campeã do carnaval carioca também lançou as camisas oficiais, que estarão à venda na Feijoada da Família Portelense de agosto, sábado que vem, quando a Azul e Branco vai celebrar Clara na data de seu nascimento, 12 de agosto. A Portela será a terceira a desfilar na Segunda-feira do Carnaval 2019, com o enredo “Na Madureira moderníssima, hei sempre de ouvir cantar uma Sabiá”, da carnavalesca hors concours, a magistral Rosa Magalhães.

Os Tribalistas 

No repertório dos Tribalistas, músicas do último disco e outras do primeiro, como Já Sei Namorar e Velha Infância

A Arena Fonte Nova, em Salvador, lotada com 18 mil pessoas, os Tribalistas estreavam sua turnê na mesma cidade onde o trio Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte compôs as canções dos seus dois únicos álbuns, lançados em 2002 e em 2017. No repertório, músicas do último disco e outras do primeiro, como Já Sei Namorar e Velha Infância. E dá-lhe chuva, que na Bahia não é coisa pouca. Quando o trio começou a cantar Água também é mar, Marisa chegou a brincar de que era um efeito especial. Secos ou molhados, os fãs não quiseram saber, e foram ao delírio com Não é Fácil e Amor I Love You. Depois. Próxima parada da turnê: Rio de Janeiro

Like x Dislike

Incrível! A Boticário fez propaganda para o Dia dos Pais com uma família preta, foi um sucesso, com milhões de visualizações. Mas um grupo de brancos resolveu dar dislike no vídeo, dizendo que não tem diversidade porque não tem brancos. Pasmem, até uma e meia da tarde de ontem eram mais de 15 mil dislikes. Fora os comentários racistas, que o Boticário precisou desativar. Imediatamente, os negros se movimentaram nas redes sociais e, em menos de cinco horas, o jogo virou, para 63 mil likes contra 16 mil dislikes. Juntos eles são fortes. Afinal, quem ficou séculos sendo relegado ao segundo plano, já estava na hora de reagir. Quanto à hipocrisia branca, conformem-se, o novo tempo chegou. Chegou a hora de discriminar, não os negros, mas os racistas.

Detalhe: O Boticário também fez uma propaganda para a data com uma família branca, sem qualquer rejeição ou comentário negativo. 

Canhota de ouro 

Gérson, Tricampeão mundial de futebol, está de volta às suas origens. Aos 77 anos, ele assinou um contrato com o Canto do Rio, clube de Niterói que joga na terceira divisão do futebol carioca. Mas, calma lá. Gérson não vai entrar em campo e decidir os jogos como fazia com as camisas de Botafogo e Fluminense. Ele vai integrar o Conselho Gestor do futebol do Canto do Rio, e promete alavancar o clube em nível estadual. Não é ele que gosta de levar vantagem em tudo? Vamos esperar.

A Nau de Caetano 

Prosseguindo a cobertura da turnê de Caetano Veloso pela Europa, no domingo o cantor embarcou para Amsterdã. No avião, antes da decolagem, passageiros, na grande maioria portugueses, aeromoças e o co-piloto cantaram à capela o clássico “Sozinho”, e com direito a refrão - “Ou você me engana. Ou não está madura. Onde está você agora? Quando a gente gosta. É claro que a gente cuida” - e tudo sendo gravado por Paula Lavigne no celular. Caetano Veloso, por incrível que pareça, escondeu-se em sua poltrona, envergonhado, mas agradeceu ao público pelo carinho.

Youtube também veta Fake 

A CEO do YouTube, Susan Wojcicki, escreveu carta aberta para falar sobre comportamento na plataforma de vídeos online. A mensagem é direcionada principalmente aos criadores de conteúdo, e a CEO reforça a transparência e o rigor nas políticas da rede. “Nossos dispositivos são cada vez mais importantes. Por isso, queremos colaborar com o bem-estar digital”, em seguida, a executiva deu um recado que soou como endosso às políticas do Facebook, que decretou guerra às fake news na semana passada. Susan Wojcicki reforça que, “com a marca de 1,9 bilhão de usuários conectados, aumenta a responsabilidade em influenciar debates globais”. Como se sabe, o Facebook removeu uma rede ligada ao MBL por “manipulação do debate público”.

TromPTista 

No domingo, quem deu as caras no Pavilhão de São Cristóvão foi o TromPTista do Planalto. Os nordestinos entraram em delírio. Cantaram “olê, olâ”, fizeram o L com os dedos, bateram palmas e pediram para ele voltar. À noite, na praia do Leme, lá estava de novo o TromPTista, tocando os acordes do “Olê, olá” na calçada em frente à Fiorentina, como sempre cheia de artistas, que batiam palmas e faziam o L. Numa mesa, estava a Guida Vianna, fazendo um L bem grande. Em outra havia um grupo grande do Anima Mundi. Mais adiante, uma mesa de professores da UFRJ. O músico veio para o evento da véspera nos Arcos da Lapa, e foi ficando. 

Dá-lhe Rene! 

Na apresentação de Vitinho, ontem, no Flamengo, uma curiosidade ganhou as atenções. Rene Silva, que foi eleito um dos 100 negros mais influentes do mundo, e amigo de Vitinho, cobriu a chegada do craque à Gávea para seu jornal “Voz da comunidade”. O atacante rubro-negro nasceu na Nova Holanda, no Complexo do Alemão, e não é de hoje que faz doações e auxilia os projetos comunitários na região. Na Páscoa, ele fez a festa da garotada doando os ovos de chocolate. 

------------

A FUNKEIRA MC CAROL denuncia violências dos PMs do 7º batalhão, em São Gonçalo. No sábado, em festa na Comunidade da Chumbada, chegaram a destruir o equipamento de som de um dos DJ’s. A PM diz que cumpria ordem do Comando para reprimir bailes funk do tráfico. Carol diz que na Formiga, na Tijuca, mesmo dia, foi pior: os tiros dos PMs destruíram o teto da quadra em evento autorizado pela UPP.

-----------

Com João Francisco Werneck 



Tags: boticário, caderno b, cultura, hildegard, lula livre

Compartilhe: