Jornal do Brasil

Quarta-feira, 29 de Março de 2017

País - Opinião

Alemanha não se responsabilizou por escândalo da Volks

Imbróglio judicial já custou mais de € 20 bilhões à marca

Jornal do Brasil

Em setembro de 2015, a Volkswagen admitiu ter instalado em cerca de 11 milhões de veículos a diesel mundo afora um software capaz de driblar testes de controle de emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa. O escândalo ficou conhecido como "Dieselgate".

Com o programa, os motores indicavam ser mais limpos do que eram de fato nas ruas. Até agora, o imbróglio judicial já custou mais de € 20 bilhões à Volkswagen, cujo ex-diretor-executivo está sendo investigado.

A Alemanha não se responsabilizou em nenhum momento pela recuperação moral e financeira da empresa, mesmo quando esta afetou a imagem do setor e seu mercado financeiro global. Vale ressaltar que o país é conhecido mundialmente pela força de sua indústria automobilística.

A revelação lançou a empresa em uma das piores crises de seus 80 anos de história e afetou outras montadoras, apesar de não haver acusações contra elas. Na França, as ações da Peugeot e da Renault também caíram. 

Na Alemanha, um automóvel é mais que só uma caixa de metal sobre quatro rodas. Isso acontece porque o país se orgulha de seus carros: são símbolos de confiabilidade, perícia técnica e engenharia. Lá, estima-se que um em cada sete empregos esteja de alguma forma vinculado à indústria automobilística e o escândalo desta montadora respingou direta ou indiretamente em mais de 30% da população. 

Tags: dieselgat, ecologia, juramento, leis, regras, Sistema, tecnologia, volkswagen

Compartilhe: